A Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia da capital paulista deu o pontapé inicial rumo à reforma de 133 telecentros municipais. Os espaços públicos visam a conectar a comunidade sem acesso à internet ao mundo virtual. De acordo com o plano de restaurações, além de garantir acesso à internet banda larga, os telecentros também serão submetidos a reparos físicos. A informação é da Folha de S.Paulo.

Com uma média de 164 mil atendimentos mensais, os telecentros da região contribuem, desde 2001, para promover o desenvolvimento humano, econômico e social por meio do uso da linguagem digital como elemento básico para o exercício da cidadania. Além disso, os espaços oferecem aos cidadãos uma oportunidade para que produzam, consumam e aprendam pelas ferramentas de tecnologia e inovação.

Até o fim de abril, o projeto modernizou quatro espaços: Sociedade Amigos da Vila Constança, na zona norte; Descomplica São Paulo, na zona sul; biblioteca Affonso Taunnay, zona leste; e CEU Uirapuru, na zona oeste. Ainda não há estimativa sobre quando os outros 129 telecentros passarão pelo processo de revitalização. De acordo com a prefeitura da região, seis devem ser reformados ao longo do segundo semestre.

Os antigos telecentros agora, oferecem laboratórios com laptops, espaços para reuniões e mentoria aos alunos que buscam informações sobre mercado de trabalho e empreendedorismo. “O investimento inicial da prefeitura foi de cerca de R$ 100 mil por unidade, sendo que duas delas foram bancadas por parceiros”, aponta a reportagem da Folha.

Fonte: Folha de São Paulo