narrativas-manifesto

No campo social, é por meio da comunicação que as agendas se concretizam, que as causas se manifestam e que as pessoas se sensibilizam e se engajam em movimentos para gerar conhecimento e mudanças sociais concretas. Ou seja, a comunicação adquire, cada vez mais – ou deveria adquirir –, papel central nas agendas das organizações da sociedade civil.

“Houve algum progresso, nos últimos anos, nas organizações em compreender a importância da comunicação no setor, que pode ser observada, por exemplo, por iniciativas como equipes maiores, a liderança executiva concentrada em se comunicar melhor. No entanto, ainda há muito trabalho a ser feito. Vivemos na era da informação e a comunicação é crítica. Cada organização está em sua própria jornada, mas provavelmente chegará à mesma conclusão, que a comunicação estratégica é uma necessidade, e não uma opção”, ressalta Sean Gibbons, CEO da The Communications Network.

Atentos a essa demanda, um grupo de comunicadores resolveu se unir e lançou, durante o X Congresso GIFE, a rede Narrativas, que já reúne nove instituições – Instituto Ayrton Senna, Instituto C&A, Mc&Pop Comunicação, Alana, GIFE, Instituto Unibanco, Fundo Brasil de Direitos Humanos, Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal e agência Cause.

No próximo dia 22 de maio, em São Paulo, a rede irá promover o primeiro encontro (faça aqui sua inscrição), aberto a todos os profissionais interessados em participar do grupo. A proposta é, a partir da promoção de conhecimento e espaços de debate, fortalecer as organizações voltadas para o bem comum e evidenciar a importância da comunicação na transformação social.

Mariana Moraes, gerente de Comunicação do GIFE, ressalta que esta primeira atividade da rede pretende identificar as expectativas, demandas e desafios que os profissionais da área tem para que, juntos, possam traçar a estratégia de atuação do Narrativas para o ano de 2018.

“A recepção que tivemos desde o Congresso para a rede foi ótima. Muitos comunicadores já se interessaram em participar. Precisamos lembrar que a comunicação é área-chave para a transformação social. No entanto, muitas das organizações da sociedade civil ainda não pensam nesse trabalho de forma estratégica. Os próprios dados do Censo GIFE mostram que quase a totalidade dos associados veem valor na comunicação, mas, quando vamos para pontos específicos, percebemos que o entendimento ainda é superficial. Acreditamos que existe um enorme potencial para fortalecermos a área no campo. Esperamos que a rede contribua com isso”, ressalta.

Durante o lançamento do grupo no Congresso, Carolina Pasquali, diretora de Comunicação do Alana, ressaltou a relevância e a necessidade de se criar um espaço no país como o Narrativas, no qual os profissionais pudessem encontrar os casos de sucesso e de insucesso, as informações, os dados estatísticos a respeito do campo. “É nesse lugar que nasce a rede. Além dos objetivos de gerar conhecimento e trocar experiências, pensamos em como podemos atuar juntos. Quem sabe, no futuro, possamos promover ações conjuntas. Olhando para o Brasil atual, precisamos falar, precisamos nos posicionar como setor”.

Outro ponto central a ser discutido pela rede é o fato de que a comunicação não pode ser vista como ferramenta a serviço de algo, mas ela ser a própria estratégia, afinal, para transformar é preciso comunicar.

“A comunicação é impulsionadora de ações de engajamento e mobilização. A comunicação realizada em qualquer organização quando é vista como ferramenta fica restrita ao operacional, ao mecânico, desperdiçando sua potência de transformação e conscientização social. Os comunicadores que trabalham em organizações da sociedade civil possuem o desafio cotidiano de mobilizar a sociedade para os temas que são o foco da organização que representam, sejam elas questões ambientais, relacionadas à saúde ou educação. Não estão vendendo produtos ou serviços, nem reportando notícias em tempo real. Estão instigando a reflexão coletiva sobre os direitos de cada indivíduo, na busca por uma sociedade mais justa e equânime”, pondera Fernanda Kalena, da equipe de Comunicação do Instituto Unibanco.

ComNet 2018

A ideia do Narrativas, inclusive, surgiu a partir das reflexões despertadas pelo grupo de comunicadores brasileiros que têm participado das últimas edições do ComNet -The Communications Network Annual Conference, conferência internacional de comunicação na área social. Desde 2015, representantes do GIFE, de associados e outras organizações do Brasil se organizam para estar presente neste evento, que ocorre anualmente nos Estados Unidos e reúne mais profissionais líderes de organizações sem fins lucrativos e fundações de todo o setor social.

Em 2018, o evento será realizado de 10 a 12 de outubro em São Francisco, nos EUA, e a rede Narrativas pretende levar, novamente, uma delegação brasileira para participar da conferência. O GIFE estará mais uma vez presente.

Segundo os organizadores, a conferência vem se ampliando nos últimos quatro anos. Em 2014, cerca de 300 profissionais participaram do evento. A expectativa para este ano é que chegue a 950 participantes de diversas partes do mundo. Além disso, a conferência e a associação ao grupo (saiba mais sobre a rede internacional de comunicadores), também está aberta para organizações sem fins lucrativos, além de fundações.

“Acreditamos que ter fundações e organizações sem fins lucrativos na sala juntos incentiva conversas dinâmicas e facilita a troca de novas ideias e abordagens para a comunicação. Conectando-se com alguém fora do seu mundo de comunicação imediata, te faz ouvir diferentes perspectivas e aprofunda sua compreensão da comunicação no setor social”, destaca Sean Gibbons.

A programação completa ainda não está disponível, mas Sean adianta que entre as novidades desta edição está uma atividade a ser realizada no dia 9 (que antecede a data oficial do evento), chamada de “Dia de Serviço”. A ideia é que os participantes sejam voluntários em organizações sem fins lucrativos locais da cidade.

Também serão realizados workshops pré-conferência abordando diversas temáticas, como, por exemplo, a importância e ferramentas para arquivamento de registros e memória das organizações sem fins lucrativos a partir de novas tecnologias; como realizar campanhas digitais bem-sucedidas; como a diversidade, equidade e estratégias de inclusão da organização são traduzidos em mensagens significativas; como preparar a liderança para conversar com a mídia; entre outros.

Além disso, ao longo dos três dias de conferência, serão conduzidas conversas em pequenos grupos focadas em tópicos específicos, como comunicação científica, educação, falta de moradia, pobreza, saúde, tecnologia etc. O objetivo é reunir cerca de 20 profissionais por grupo e que todos na conferência encontrem a oportunidade de se conectar com algum assunto do seu interesse.

O evento é organizado pela Communications Network, uma rede criada há quase 40 anos pelo falecido Frank Karel das Fundações Robert Wood Johnson e Rockefeller. A rede tem mais de 1.300 membros ativos em todo o mundo, incluindo líderes da Fundação Ford, Fundação Robert Wood Johnson, Fundação Pittsburgh e World Wildlife Fund.

Quem tiver interesse em participar da delegação do GIFE ao Comnet18, favor escrever para comunicacao@gife.org.br

Oportunidade

Confira todos os vídeos no canal do YouTube do GIFE das mesas sobre comunicação realizadas durante o X Congresso GIFE.

 

Fonte: GIFE.