FaceApp-Mobile-Phone-Photos-Shutterstock

Se você vive ligado nas redes sociais, deve ter notado que alguns de seus amigos ou celebridades têm compartilhado fotos em que aparecerem com a aparência muito mais envelhecida.

Não, eles não entraram numa máquina do tempo para tirar uma selfie. Tampouco avançaram a idade de um hora para outra. Eles, na verdade, entraram na moda e aderiram aos filtros de um aplicativo chamado FaceApp, que tem a capacidade de sugerir como podemos ser em 40 ou 50 anos.

Usando inteligência artificial, o aplicativo cria transformações realistas dos rostos dos usuários por meio de diversos recursos especiais. O aplicativo foi revisado quase 200 mil vezes na App Store e tem uma classificação de 4.7/5.

O FaceApp se tornou viral em 2017, mas com muitas atualizações desde então, a tecnologia tornou-se ainda mais realista, fazendo com que o app voltasse a dar o que falar.

O FaceApp foi desenvolvido por uma pequena equipe de São Petersburgo, na Rússia. “Desenvolvemos uma nova tecnologia que usa redes neurais para modificar um rosto em qualquer foto, mantendo-a fotorrealista. Por exemplo, pode adicionar um sorriso, mudar de sexo e idade ou apenas torná-lo mais atraente”, disse o fundador e CEO Yaroslav Goncharov ao site norte-americano TechCrunch.

Goncharov explica que o fato de o FaceApp ser tão realista é o que o diferencia da concorrência. “Depois de aplicar um filtro, você ainda é capaz de se reconhecer na foto. Outros aplicativos intencionalmente mudam uma imagem de forma divertida, mas pouco realista.”

Entusiastas do aplicativo podem tirar uma foto através da funcionalidade de câmera do aplicativo ou obter uma da galeria pré-existente. No entanto, por motivos de segurança, é preciso estar alerta em relação a qualquer aplicativo que solicite acesso a sua galeria pessoal. O FaceApp, como a maioria dos aplicativos, tem uma página de privacidade detalhando como eles usam o conteúdo do usuário. Lá, o aplicativo admite que pode compartilhar o Conteúdo do Usuário e suas informações com empresas que são legalmente parte do mesmo grupo que o FaceApp integra.

“Também podemos compartilhar suas informações, bem como informações de ferramentas como cookies, arquivos de log e identificadores de dispositivos e dados de localização, com organizações terceirizadas que nos ajudam a fornecer o serviço para você”, continua a política de privacidade.

Isso é normal para muitos aplicativos e já gerou uma multa de $ 5 bilhões de dólares ao Facebook neste mês. A dica é: se os termos de uso de forem algo que possa dissuadi-lo de investir em alguma dessas engenhocas tecnológicas, talvez valha a pena desinstalar o aplicativo após o uso, já que as empresas só podem acessar os dados presentes nos smartphones dos usuários que possuem os aplicativos ativados em seus aparelhos.